Facebook para trabalhar

O Facebook acaba de apresentar os seus planos de custo para a nova plataforma que está a disponibilizar para as empresas, o Facebook Workplace. O interessante nesta novidade não é o produto em si, o qual parece estar bem pensado, ou melhor está bem analisado e adaptado a muitas das atividades que pequenos grupos de interesse já efetuam em grupos privados, mas a quem o Facebook se quer dirigir.

Este é um produto realmente adaptado às necessidades de negócio das organizações, qualquer que seja a sua dimensão. Sinceramente, pela primeira análise que efetuei ao Workplace, parece-me bem definido, mas que será melhor aproveitado por organizações com uma vertente mais criativa, onde a interação entre pares seja constante e fluída.

O que vejo interessante nesta apresentação é o piscar de olho claríssimo do Facebook à comunidade empresarial e com um produto feito e pensado com uma visão B2B, criando assim uma nova linha de negócio e de proveitos que ainda não tinha sido explorada.

Agora é preciso esperar para ver o que daqui virá, pelo menos o modelo de negócio é simples em que se saturará por utilizador ativo. A minha questão eterna é o que é que o Facebook assumirá como utilizador ativo? Qual a atividade mínima para ser considerado como utilizador ativo? Ou este será mais uma zona cinzenta que o Facebook já nos habituou na área de publicidade.

 

Ah! Uma pequena curiosidade geek. O Site de apresentação e de promoção deste novo serviço foi criado na plataforma WordPress.

 

Deixe o seu comentário