Os ciclos são assim

Hoje termina um longo e muito agradável ciclo profissional da minha vida: LEWIS.

Termina porque assim o determinei, no momento em que aceitei uma proposta para trabalhar numa empresa de tecnologia, com um desafio diferente do que vivi na última década na agência. Mas não posso deixar de escrever o que me vai na alma, relativamente as estes anos, que de forma muito simples e concisa poderia resumir-se a gratidão!

Foram tempos onde muito mudou, a nível pessoal passei de um solteirão a pai de família babado e bem casado.

A nível profissional as coisas foram um desafio constante, começando por poder viver na primeira pessoa a mudança radical de métodos de trabalho e conceitos de comunicação, que nada têm a ver com o que eram há uma década atrás. As redes sociais e o mundo digital alteraram não só formas de trabalhar e de comunicar, como criou novos atores que têm conseguido ter mais e maior impacto no mercado.

Os blogs passaram de meros diários pessoais para poderosas ferramentas de marketing e promoção para as marcas, quer diretamente, quer através do contacto com os novos influenciadores: os bloggers. As redes sociais apareceram, amadureceram, diversificaram e conquistaram a sua influência no dia a dia de cada consumidor.

Na LEWIS tive a oportunidade de conhecer e conversar com pessoas, que noutra situação seria quase impossível acontecer, nesse rol orgulho-me de ter conhecido e falado com o fundador do Twitter, o Chairman de uma das maiores empresas de tecnologia do mundo John Chambers, da Cisco, ou o grande George RR Martin. Mas houve muitos outros que me marcaram.

Pude criar projetos únicos e disjuntivos a nível de comunicação. Em conjunto com uma equipa dedicada e sempre disponível para levar avante as minhas ideias um tanto ou quanto fora do normal, criamos o primeiro ranking social dos clubes de futebol das duas principais ligas portuguesas, que a seguir foi reproduzido a nível mundial. Criámos apps, websites, concursos e estudos que noutra situação nunca se poderia enquadrar no trabalho das Relações Públicas. Mas nunca aceitamos um não ou alguma  dizer que era impossível. Porquê? Porque está no sangue da agência ser arrojado, criativo e não aceitar o status quo.

Recordo-me perfeitamente a primeira vez que me encontrei com o presidente da LEWIS, Chris Lewis, que me marcou pela sua proximidade, sentido de humor (by the way, ser da LEWIS é ter sentido de humor ou então nem vale a pena tentar!) e cuidado por todos os colaboradores. Ele procura ter uma família que está focada nos objetivos do grupo: chegar às 10 maiores agências do mundo. Tenho orgulho de poder ter participado na história da ascensão da agência cerca de 40 postos nesse ranking, quando todos os outros não conseguiam sobreviver ou manter as suas posições.

Tive grandes colegas e companheiros de jornada, um “jefito” que me deu liberdade para tudo. Mas acima de tudo ganhei muitos amigos para a vida!

Como foi possível? Pelos valores da empresa e recursos humanos únicos e visionários. Na LEWIS tive oportunidade de sentir o que é ser um pregador no deserto. Quantas vezes falamos de temas muito antes do tempo para o mercado. E assim continua a ser a empresa. Que orgulho! Que motivação! Que equipa!

O meu último dia na LEWIS coincide com um dia de felicidade, com o festejo de mais um ano de vida da minha filha, o que me traz um misto de sentimentos fortes.

Mas como em tudo, a vida é feita de ciclos e este termina agora com um sentimento de dever cumprido. Comecei sozinho numa pequena sala, saio com uma equipa formada, da qual saiu a nova liderança de forma natural. A motivação de trabalhar esteve desde o primeiro dia até ao último minuto.

No final de tudo, criei, cimentei amizades e relações únicas e que me seguirão para o resto da vida; conheci mais mundo; vivi coisas únicas; ganhei mais conhecimento de gestão de equipas e de uma empresa; e aprendi que não é preciso mudar para ser-se bem sucedido. Na realidade para ser bem sucedido, não devemos mesmo mudar. Devemos aproveitar o melhor de nós e dos que nos rodeiam, rodearmo-nos de pessoas fiéis e de confiança e preservar!

Agora é tempo de novos desafios, sei que tenho uma equipa fantástica à minha espera!

hell of a ride

Deixe o seu comentário